SÍNDROME DA FADIGA CRÔNICA - SFC

 

  A Síndrome da Fadiga Crônica é caracterizada por uma fadiga debilitante e prolongada, que não é aliviada pelo descanso e pode piorar com a atividade física e mental.  

  O paciente apresenta outras queixas inespecíficas como fraqueza, dor muscular, prejuízo de memória ou de concentração e insônia.

  A causa exata da SFC é desconhecida. Alguns estudos mostram que pode ser causada por infecção bacteriana ou viral complicada por uma resposta imunológica inadequada do organismo. Pode ocorrer após um ferimento, uma cirurgia precedida ou seguida de infecção ou outro evento traumático que enfraqueça ou afete adversamente o sistema imunológico.

  A SFC é geralmente associada ao vírus de Epstein-Barr da família do vírus do herpes. Aproximadamente 90 por cento de todos os adultos carregam este vírus. Quando o sistema imunológico é saudável, o vírus de Epstein-Barr geralmente não apresenta nenhum risco e permanece adormecido.

  A idade, o ambiente, a disposição genética, a doença prévia, ou o stress podem também ser fatores desencadeantes da síndrome.

  Pesquisas recentes mostram que nenhum tipo de terapia foi identificado  para atenuar o curso da doença. Os protocolos atuais de tratamento se fixam em melhorar os sintomas.

  Recomenda que a depressão seja tratada com antidepressivos como o desipramine ou a fluotexina.

  Quando as mialgias são o problema principal, as drogas anti-inflamatórias não esteróides podem ser prescritas.

  O descanso combinado com um programa do exercício delicado é apropriado na maioria dos casos. Isto pode necessitar uma ausência prolongada ao trabalho se as atividades requerem o esforço de moderado a alto.

  Comparação entre Fibromialgia e Fadiga Crônica: SFM x SFC

 

VOLTAR                                                                          TOPO