SÍNDROME DA FIBROMIALGIA - SFM

 

  A SFM é uma forma crônica de reumatismo nos músculos e tecidos conectivos fibrosos (ligamentos e tendões), caracterizada por dores difusas de moderada a fortes, por uma fadiga intensa e por distúrbios do sono.

O que está presente em todos os quadros é a dor difusa pelo corpo inteiro e presente na maior parte do dia.

O caráter da dor é bastante variável, às vezes é percebida como queimação, pontada, rigidez, cãimbra, etc.

É comum a referência de agravamento pelo frio, umidade, mudança climática, tensão emocional ou por esforço fisico.

  Embora a causa da SFM seja desconhecida, ela é descrita como uma desordem no processamento central da dor, resultado de um aumento na percepção de dor pelo indivíduo. Os avanços nas pesquisas mostram que a SFM está associada a anormalidades bioquímicas, metabólicas e imunológicas envolvendo os Sistemas Nervoso Central, Neuroendócrino e Músculo-esquelético.

A SFM é considerada uma síndrome porque engloba uma série de manifestações clínicas. O paciente apresenta inúmeras outras queixas inespecíficas devido às anormalidades bioquímicas e metabólicas que causam forte impacto na rotina do paciente, como: dormência e fisgadas nas mãos, braços, pés, pernas ou rosto; fraqueza; prejuízo de memória ou de concentração; vertigem; visão nublada; coceira; cólon irritável; etc.

A SFM pode ser desencadeada por diferentes fatores, isolados ou combinados, como: doenças graves, traumas físicos ou emocionais ou mudanças hormonais.

O diagnóstico da SFM é realizado basicamente por exclusão de existência de outras patologias, já que não existem exames laboratoriais ou de imagens que possam detectá-la; por uma avaliação detalhada dos sintomas relatados pelo paciente; pelo relato de dor muscular difusa por 3 meses ou mais e pela investigação dos Tender Points.

 Tender Points ou Pontos Dolorosos são áreas predeterminadas usadas para testar a sensibilidade aumentada do paciente. Para efeitos de diagnóstico, dos 18 tender points existentes (9 pares - ver figura abaixo) pelo menos 11 devem responder dolorosamente quando for aplicada uma determinada pressão sobre eles.

 

A dificuldade de diagnóstico, aliada ao desconhecimento da doença, leva o paciente a uma peregrinação angustiante por médicos e hospitais.

A SFM não é uma doença degenerativa ou uma condição deformante. Entretanto, o tratamento da dor crônica e da fadiga é desafiador e não existe cura imediata.

O tratamento da SFM exige cuidados multidisciplinares e o foco é evitar a incapacidade física, minimizar os sintomas e melhorar a saúde de modo geral. Recomenda-se:

Exercícios para alongamento, fortalecimento muscular e condicionamento cardiorrespiratório

Técnicas de relaxamento
Hábitos saudáveis e métodos de alívio de estresse
Medicações para o controle da dor, dos distúrbios do sono, problemas emocionais e dos demais sintomas.
Terapia cognitivo comportamental, quando necessário.

A freqüência da fibromialgia na população em geral é de 1 a 5% e é mais freqüente no sexo feminino, que corresponde a 80% dos casos. Em média, a idade do seu início varia entre 29 e 37 anos, sendo a idade de seu diagnóstico entre 34 e 57 anos. Os sintomas de dor, fadiga e distúrbios do sono tendem a instalar-se lentamente na vida adulta, no entanto, 25% dos casos referem apresentar estes sintomas desde a infância.

Histórico familiar: a doença é recorrente entre membros de uma mesma família, indicando que talvez exista algum fator genético envolvido nas suas causas.

A fibromialgia provoca um impacto negativo importante na qualidade de vida dos pacientes e envolve mudanças importantes na vida social, afetiva e ocupacional dos indivíduos. Muitos reltam que  a interação social diminui, o trabalho é prejudicado, e aspectos cognitivos como a atenção e a motivação mostram-se reduzidos. Sob esse aspecto a fibromialgia coloca o paciente muito mais predisposto a um quadro de depressão. Esse impacto na qualidade de vida correlaciona-se fortemente com a intensidade da dor, fadiga e decréscimo da capacidade funcional.

Cerca de um quarto das pessoas com fibromialgia são impactadas em seu desempenho profissional.

Em casa, você pode tomar algumas medidas para ajudar no tratamento e a conviver melhor com a doença. Veja exemplos:

Reduza o estresse diário

Durma o suficiente para estar descansado no dia seguinte

Exercite-se regularmente

Mantenha um estilo de vida saudável

A SFM é uma condição semelhante, em muitos aspectos, à Síndrome da Fadica Crônica (SFC). Leia ...

 

 

                                                                                   TOPO