SINTOMAS DA FIBROMIALGIA

 

  A dor, a fadiga e o sono não reparador são sintomas clássicos da fibromialgia, porém outras dezenas de indisposições são percebidas pelo paciente.

 

  É importante salientar, que devido aos medicamentos utilizados pelos pacientes, alguns dos sintomas aqui relatados podem não ser necessariamente resultado da SFM e sim efeito colateral de algum remédio. Como por exemplo, boca seca ou diminuição de libido, que podem ser causadas pelo uso de antidepressivo.

 

  Para melhor visualização da sintomatologia manifestada dividimos em dois grupos:

SINTOMAS: Várias perturbações se manifestam devido às 

anormalidades bioquímicas e metabólicas que envolvem o Sistema Nervoso Central, Neuroendócrino e Músculo-esquelético e causam forte impacto na rotina do paciente.

 

SOBREPOSIÇÃO DE SÍNDROMES: A maioria dos pacientes têm várias outras síndromes sobrepostas, que amplificam os incômodos já presentes na Síndrome de Fibromialgia..

 DOR

  Dor muscular: Generalizada ou localizada podendo ser aguda, contínua, ou de intensidade variável em função do tipo de atividade, do clima, do sono, do estresse, etc.

  Nódulos: Presentes nos Pontos Dolorosos.

  Dor nas costas: Normalmente crônicas e difusas. Os músculos estão tensos e doloridos e a dor é irradiada para outras áreas inusitadas tais como a bexiga, testículos nos homens, coxas, altos dos pés, etc.. 

  Dor nos ombros: A maioria dos pacientes apresentam dor crônica na parte de trás do pescoço e nos ombros. Os músculos estão sempre tensos e doloridos.

  Dor no peito: ou Costocondrite é um inflamação da cartilagem que une as costelas ao externo, que imita a dor de problemas cardíacos, porém raramente causa problemas sérios. A dor começa nos peito, mas pode ser irradiada para os ombros, pescoço, ou para o abdome. Pode também estar associada a outros sintomas como aceleração dos batimentos cardíacos, batimentos irregulares, respiração curta ou dificuldades para respirar. Pode ser causada por movimentos repetitivos, pelos 2 Pontos Dolorosos que se situam embaixo da clavícula, pela rinite não alérgica ou por condições que causam longo período de tosse. A dor pode permanecer por semanas ou meses.

 

 

FADIGA

  Cansaço extremo: A fadiga está sempre presente no paciente de fibromialgia e nem sempre melhora com o descanso.

  Perda da energia: Fadiga física e mental e redução de até 50% da resistência aos exercícios e da capacidade física.

  Piora: Fica mais forte com exercícios físicos e estresse e é maior pela manhã ao acordar.

 

 

SONO

  Sonolência diurna: Normalmente resultado do sono não reparador.

  Insônia: Caracteriza-se de diversas maneiras, podendo ser uma dificuldade em iniciar o sono, despertares durante a noite ou acordar muito cedo e não conseguir mais dormir.

  Sono não reparador: Apesar de dormir durante a noite acorda-se de manhã como se o sono não tivesse sido suficiente.

  Sono Alfa-Delta: Conforme já relatado na seção Fisiopatologia, esta anormalidade ocorre durante a Fase 4 do Sono Não REM e é caracterizada pela intromissão de ondas Alfa que acompanham o sono superficial das Fases 1 e 2,  fazendo com que o paciente desperte ou retorne a um nível de sono mais leve.

  Horário alterado: O Ciclo Circadiano desregulado afeta o horário para dormir e acordar e determina maior energia e alerta de madrugada.

  Distúrbios de sonho: Pesadelos.

 

 

MUSCULAR

  Contração muscular: Contrações ou cãibras.

  Fraqueza muscular: Principalmente nos braços e pernas.

  Dormência: Ou fisgada, ou formigamento nas mãos, braços, pés, pernas ou face.

  Rigidez matinal: É uma sensação de travamento do corpo muito comum na fibromialgia que ocorre principalmente de manhã ao acordar. Não é certo o que causa a rigidez matinal nos pacientes, algumas teorias apontam para a super utilização de certos grupos de músculos, carência de exercícios ou atividades, estresse muscular causado por movimentos repetitivos ou acúmulo de líquidos nas articulações. A rigidez da manhã pode piorar os sintomas da SFM, dificultar as atividades, ou mesmo impedir que se saia da cama. Entretanto, com movimentos lentos de alongamento, a rigidez tende a melhorar e é geralmente possível prosseguir com as tarefas diárias.

 

 

EMOCIONAL

  Os pacientes de fibromialgia freqüentemente experimentam depressão e ansiedade em conseqüência do intenso distúrbio que estão experimentando. Conforme tratado na seção Fisiopatologia,elas não são a causa da fibromialgia. De qualquer forma, o portador apresenta mudanças de humor em função de sua patologia dolorosa, tais como:

Ansiedade: É uma sensação de intranqüilidade, apreensão e medo, marcada por sinais corporais como suores, tensão muscular e taquicardia e é uma sensação muito comum em pacientes com SFM.

Desânimo.

Desamparo: Sentimentos de inutilidade, de falta de expectativas, de desesperança, ou de ser desprezado.

Perda de auto-estima: Decorre do permanente sofrimento físico e da fadiga e repercute no desempenho profissional, comunitário e familiar do paciente.

Auto-imagem: Auto-imagem e imagem corporal negativa.

Prazer: Incapacidade de sentir prazer com o que antes era prazeroso.

Irritabilidade: Excessiva e reação inadequadamente aumentada.

Humor: Mudanças imprevisíveis de humor.

Depressão: Estado depressivo, ou depressão de leve a moderada. Eventualmente depressão grave.

Medo: Ou pânico.

Apetite: Aumento ou redução do apetite.

Pensamentos suicidas: Ou tentativas de suicídio.

 

COGNITIVO

  FIBROFOG: É o nome dado a uma variedade de problemas cognitivos que afetam o paciente de fibromialgia. Estes problemas se apresentam como uma "névoa" cerebral e pode ocorrer em qualquer fase da doença e variar de intensidade. 

  Tende a ser mais severo durante os períodos de maior intensidade da dor e afeta homens e mulheres, porém tende a ser mais freqüente nas mulheres. Os episódios duram tipicamente alguns dias, embora quando severa pode durar semanas ou mesmo meses.

  O Fibrofog pode ser um dos sintomas mais estressantes da SFM e abrange dificuldades de:

Uso da linguagem: esquecimento de palavras, dificuldade para concluir frases, dificuldade em conversar em ambientes ruidosos, gagueira, etc.

Concentração e atenção: Principalmente durante as crises de dor.

Compreensão: Principalmente na leitura.

Memória de curto prazo: Esquecimento freqüente de onde guardou coisas, de nome de pessoas, etc.

Raciocínio: Afeta o raciocínio e o aprendizado, tornando-os geralmente mais lentos. 

Decisões: Dificuldade para tomada de decisões.

  Causas do Fibrofog: São ainda indeterminadas, entretanto não há nenhum problema real relacionado com as capacidades mentais do paciente. Poderia ser explicada pelo sono não restaurador que reduz os níveis de serotonina; pela dor crônica que demandaria muito tempo e energia do cérebro, além de produzir grande estresse.

 

 

EQUILÍBRIO E PERCEPÇÃO

  Desorientação: As razões para a desorientação na fibromialgia são provavelmente os problemas com a circulação sangüínea conhecido como Hipotensão Neuromediada, que pode causar vertigem, fraqueza, suores e  tontura, além de poder levar ao desmaio e à queda. A Hipotensão Neuromediada é resultado de problemas no Sistema Nervoso Autônomo e é diagnosticada através de um teste conhecido por "Tilt Table Test", onde o paciente é colocado deitado sobre uma mesa que vai sendo lentamente inclinada e pressão arterial constantemente monitorada.

Vertigem: É a sensação que você está girando, flutuando ou inclinando. Ocorre freqüentemente em conjunto com a náusea e dura por 3 a 4 dias. Tende também a fazer com que seus olhos balancem ligeiramente para a frente e para trás, conhecido por Nistagmos.

Instabilidade: Sensação de desequilíbrio.

Tontura: Pode causar o náusea e é acompanhado freqüentemente pelo desequilíbrio corporal.

Sensação de Desmaio: Ocorre quando a pessoa se levanta depois de ficar muito tempo sentada ou deitada, a visão se torna turva ou escurecida e é causada geralmente por uma redução do fluxo de sangue no cérebro.

Andar: Vacilante, pesado, desajeitado ou trombando em coisas

Firmeza: Deixar cair as coisas com freqüência.

Desorientação espacial: Dificuldade de calcular distâncias principalmente para dirigir ou colocar objetos em superfícies.

 

VISÃO

  Visão: Nublada, dupla ou com pontos cegos e Vista cansada

  Foco: Dificuldade com foco quando se muda o olhar de um objeto para outro.

  Olhos: Secos.

 

 

SENSIBILIDADE

  A sensibilidade é ampliada nos pacientes de fibromialgia da mesma forma que a dor, e é explicada geralmente como sendo um resultado da hiper-vigilância do Sistema Nervoso. Em conseqüência da sobrecarga sensorial os portadores se tornam extremamente sensíveis a uma variedade de estímulos que não causariam reações adversas em pessoas normais, tais como alergias, tosse de irritação e coceira nos olhos. Para reduzir os impactos deve-se evitar esses estímulos e praticar relaxamento.

  Estímulos Ambientais:

Fotossensibilidade: Sensibilidade exagerada à luz forte ou brilhante.

Ruídos: Mesmo em intensidade mínima pode causar aflição.

Alterações do Clima: Mudanças de temperatura ou de condições climáticas podem agravar os sintomas da fibromialgia. Algumas pessoas sofrem tanto no calor quanto no frio, com tempo nublado, úmido, chuvoso ou até em dias extremamente claros.

Calor: Em excesso.

Frio: Quase sempre piora os sintomas.

Odores: Cheiros exalados por produtos químicos, produtos de limpeza, perfumes, fumaça, fungos, poluentes, etc.

  Outros:

Alimentos: Ou aditivos alimentícios.

Alergia: Alergia respiratória, novas alergias ou piora de alergias antigas.

Rinite não alérgica: Ou Rinite Irritante, consiste dos mesmos sintomas da rinite alérgica mas que normalmente não responde ao uso de antihistamínicos. O cérebro do portador também amplia os sinais da dor do nariz, causando sensibilidade extrema do nervo na área, provocando inchaço na mucosa nasal que resulta em sintomas como dor nasal, congestão ou coriza e dor nos seios da face. Mais de 90% dos pacientes com fibromialgia relatam congestão crônica e coriza. Estudos recentes mostram que a Rinite não Alérgica provoca um impacto significativo nos testes de padrões de sono como apnéia, insônia e outros distúrbios.

 

GENITAL

  TPM: As mulheres com SFM podem ter o período menstrual mais doloroso que as outras ou ainda experimentar piora de seus sintomas de fibromialgia durante esta fase.

  Endometriose: É uma doença que acomete as mulheres em idade reprodutiva e que consiste na presença de endométrio fora do útero, causando dor e infertilidade. Endométrio é a camada interna do útero que é renovada mensalmente pela menstruação. Os locais mais comuns para a Endometriose são: atrás do útero, septo reto-vaginal (tecido entre a vagina e o reto), trompas, ovários, superfície do reto, ligamentos do útero, bexiga, e parede da pélvis.

  Dor pélvica: Dor genital e urinária e no baixo ventre apresentada por mulheres e homens. Para pacientes do sexo masculino é também chamada de Prostatite Crônica e muitos autores a incluem entre as queixas da fibromialgia. 

  Dispareunia: É a dor genital que ocorre repetidamente antes, durante ou após o ato sexual, podendo às vezes ser tão intensa que torna o ato impossível para pacientes com SFM e freqüentemente causa problemas nos relacionamentos. Afeta principalmente mulheres com fibromialgia mas pode afetar também os homens. Não se conhece a causa, mas pode ser em razão da sensibilidade de dor aumentada.

  Disfunção Sexual: Pode ser resultado da dor, da privação do sono, da falta da energia, da falta de auto-confiança devido à doença e mesmo à falta do interesse. Medicamentos usados no tratamento como os antidepressivos, os tranqüilizantes e os indutores do sono têm o potencial de interferir no desejo ou no orgasmo sexual. 

Diminuição da libido: Consiste na ausência ou diminuição da motivação para a busca de sexo, ou seja, a pessoa não tem vontade de manter relações sexuais.

Anorgasmia: É a falta de sensação de orgasmo na relação sexual da mulher. Pode ser primária, quando ela nunca experimentou o orgasmo em toda a sua vida sexualmente ativa, ou secundária, quando tinha orgasmos e passou a não tê-los mais.

 

GASTROINTESTINAL

  Estômago: Dores, náuseas ou vômitos.

  Refluxo esofágico: É o retorno do ácido do estômago para o esôfago o que nos dá uma sensação de queimação ou de azedo, que pode ir do estômago até à garganta. A regurgitação do conteúdo do estômago para o esôfago também pode ocorrer.

  Deglutição: Dificuldades para engolir.

  Peso: Perda ou principalmente ganho de peso

 

 

DERMATOLÓGICO

  Pele: As queixas da pele associadas com a SFM são numerosas e os pacientem apresentam uma sensibilidade total da pele. Os problemas de pele para os fibromiálgicos são muito difíceis de tratar e não se sabe porque a pele é tão afetada pela doença.

Pele Seca: A pele fica cronicamente seca, de fácil descamação em qualquer parte do corpo, mas afeta particularmente as mãos e os dedos.

Parestesia: Presente em aproximadamente 75% dos pacientes, é uma sensação anormal e desagradável sobre a pele que assume diversas formas:

Coceira: É uma das queixas mais comuns que torturam os pacientes e pode ser causada pela interpretação errada do cérebro aos sinais de dor. Às vezes o ato de coçar provoca dor, vermelhidão ou feridas.

Sensação de que existe algo andando sobre a pele.

Sensação de picadas. 

Queimação, amortecimento ou formigamento.

Sensações de frio ou vibrações de calor especialmente nas palmas das mãos, solas dos pés e coxas.

Alteração na coloração: A pele pode mudar de cor, de aparência ou de tonalidade. Pontos escuros podem aparecer sobre o corpo, particularmente no interior dos cotovelos e das coxas e a exposição ao sol pode escurecer ainda mais estes pontos ou fazer com que tornem-se vermelhos e inchados. Pode ser causada por uma hiperatividade da glândula Pituitária, que é responsável por produzir o hormônio precursor da melanina.

Pele Sensível: A pele pode ser machucada apenas pelo toque e causar problemas como inchaço ou cicatriz e pode ser causada pela disfunção do Sistema Nervoso Central. Alguns pacientes têm particular sensibilidade dolorosa à uma pressão particularmente na região escapular, que freqüentemente resulta em uma isquemia ou vermelhão no local (hiperemia reativa).

Neurodermatite: É uma forma de dermatite, possivelmente de fundo emocional, caracterizada por um ciclo contínuo de produção de coceira. Apesar dos sintomas aumentarem em tempos de estresse, alterações fisiológicas nas fibras nervosas também estão presentes. Ocorre uma reação de hipersensibilidade (parecida com uma alergia) na pele, que causa uma inflamação crônica. A irritação, inflamação e  coceira crônicas podem causar o espessamento da pele deixando-a  com uma textura semelhante ao couro. A exposição a fatores irritantes do meio ambiente como a exposição à água, alterações de temperatura e estresse podem agravar os sintomas.

Outros: Outros distúrbios de pele podem correr como urticária, manchas vermelhas, inchaço, pequenas bolhas, brotoejas, ulcerações, eczemas e suor excessivo.

  Unhas: São normalmente fracas e quebradiças, podendo também apresentar pontos brancos.

  Cabelo: Quebradiço ou com seborréia.

 

 

GERAL

  Fôlego curto ou suspiros freqüentes.

  Sensação de gripe recorrente.

  Dor de garganta, rouquidão ou tosse.

  Gânglios inchados na garganta e em baixo dos braços.

  Febre baixa.

  Tremores.

  Suores noturnos.

  Sensação freqüente de frio ou calor.

  Extremidades frias.

  Hipotermia: Temperatura corporal abaixo de 35,5 graus celcius.

  Hipoglicemia: Pode ser induzida ou intensificada pela SFM e quando isso ocorre é chamada de Fibroglicemia. Cerca de 40% das mulheres e 20% dos homens fibromiálgicos sofrem da combinação de ambas as circunstâncias.

O estresse excessivo e contínuo pode resultar na exaustão da glândula Adrenal. Uma das funções da glândula Adrenal é manter os níveis de açúcar de sangue em momentos de estresse e a exaustão adrenal pode resultar em episódios de hipoglicemia (baixos níveis de açúcar no sangue).

  Hipotensão: Pressão arterial está abaixo de 10 por 6, e pode estar relacionada à presença da fadiga.

  Retenção de líquidos ou apenas a sensação de inchaço nas mãos e nos pés.

  Boca seca ou sede.

  Sabor amargo / metálico na boca.

  Alterações no paladar, olfato ou audição.

  Zumbido nos ouvidos.

  Palpitações ou taquicardia.

  Prolapso da Válvula Mitral: Ou Síndrome de Barlow, é causada por anormalidades do tecido colágeno da válvula mitral que é localizada dentro do coração. Os sintomas são um sopro cardíaco, palpitações e, ocasionalmente, uma arritmia cardíaca. è mais comum em mulheres jovem e tende a ser hereditário.

  Redução da capacidade de coordenação motora fina.

  Resistência ao tratamento: Embora não se trate especificamente de um sintoma, outra característica clínica do paciente de SFM é a resistência que apresentam ao tratamento padrão, principalmente no que diz respeito ao condicionamento físico, possivelmente em função da dor e da fadiga. 

 

 

OUTROS

  Os sintomas pioram com estresse.

  Os sintomas podem piorar com viagens: Longas horas dentro de um carro ou ônibus, esperar em aeroportos e rodoviárias, a obrigação em excursões de passeios com hora programada, podem levar a um estresse físico e emocional, causando maior dor.

  Gravidez: Observa-se que durante a gravidez, os sintomas são consistentemente aliviados.

  Medicamentos: Efeitos colaterais de diversas medicações podem acarretar sintomas semelhantes ao da fibromialgia, destacando-se as drogas usadas para o controle do colesterol, triptofano, suplementos alimentares e remédios empregados no tratamento de doenças reumáticas como corticosteróides, alopurinol, cloroquina e D-penicilamina.

 

 

SEXO MASCULINO

 

  Os sintomas da fibromialgia variam de pessoa à pessoa e também variam em função do sexo. Pesquisa recentes mostram que os sintomas experimentados pelos homens diferem dos das mulheres.

  Os homens apresentam um número menor de sintomas, geralmente mais brandos, que tendem a durar menos tempo e ocorrem menos freqüentemente do que nas mulheres. Os sintomas mais comuns apresentados pelos homens são:

Menor número de Pontos Dolorosos.

Menor sensibilidade à dor nos Pontos Dolorosos.

Fadiga.

Rigidez Matinal.

Síndrome do Cólon Irritável.

 

 

INCIDÊNCIA DOS SINTOMAS

 

  A tabela abaixo apresenta percentuais de incidência dos sintomas nos pacientes de fibromialgia. Os valores apresentados foram coletados da seguinte forma:

Coluna Internet: São os valores médios apresentados em sites especializados em fibromialgia da Internet.

Coluna Orkut: Os valores foram extraídos de um levantamento realizado por nós em parceria com a comunidade Eu tenho Fibromialgia do Orkut em agosto/2005 e que contou com a participação espontânea de 197 fibromiálgicos.

  É interessante perceber que, salvo algumas distorções, os índices brasileiros obtidos pelo nosso levantamento são muito semelhantes aos publicados pelas comunidades científica. Em mais de 50% do conjunto de sintomas a diferença não ultrapassa 20 pontos percentuais.

 

 

SINTOMAS

Internet

Orkut

 

Dor Localizada

100,0%

99,0%

 

Dor Generalizada

100,0%

93,4%

 

Fadiga

93,0%

96,4%

 

Congestão Nasal

90,5%

73,1%

 

Insônia

86,0%

86,3%

 

Sensibilidade ao Frio

85,0%

81,7%

 

Unha com Pontos Brancos

85,0%

58,9%

 

Febre Baixa

85,0%

 -

 

Rigidez Matinal

83,3%

87,3%

 

Sono não Reparador

81,0%

98,0%

 

Cefaléia ou Enxaqueca

80,7%

90,4%

 

Rinite não Alérgica

78,5%

 -

 

Memória Comprometida

78,0%

87,8%

 

Ansiedade

77,7%

99,0%

 

Pele Seca

76,0%

71,1%

 

Irritabilidade

75,0%

98,5%

 

Manchas na Pele

75,0%

51,8%

 

Pressão Baixa

73,0%

64,5%

 

Síndrome do Cólon Irritável

72,5%

80,7%

 

Bruxismo / ATM

71,7%

57,9%

 

Coceira

71,0%

58,9%

 

Concentração Baixa

70,7%

90,4%

 

Intolerância ao Stress

70,0%

96,4%

 

Inchaço

70,0%

75,6%

 

Déficit de Atenção

69,3%

88,8%

 

Raciocínio Ineficiente

69,3%

72,6%

 

Sensibilidade ao Calor

67,5%

67,0%

 

Dormência

66,3%

88,3%

 

TPM

65,5%

79,2%

 

Foto-sensibilidade

65,0%

75,1%

 

Depressão Leve

65,0%

68,0%

 

Hipotermia

65,0%

46,7%

 

Endometriose

65,0%

8,6%

 

Palpitações

64,5%

 -

 

Visão Nublada

60,0%

61,4%

 

Sono Alfa-Delta

60,0%

 -

 

Tontura

59,3%

84,3%

 

Zumbido

57,0%

67,0%

 

Sensibilidade à Produtos Químicos

54,0%

56,0%

 

Sensibilidade à Remédios

54,0%

54,0%

 

Dor no Peito

53,3%

 -

 

Problemas de Coordenação Motora

53,0%

44,0%

 

Boca Seca

52,0%

81,2%

 

Sensibilidade à Ruídos

50,0%

79,2%

 

Síndrome da Bexiga Irritável

50,0%

57,9%

 

Dor de Garganta

50,0%

 -

 

Gânglios Inchados

50,0%

 

Suores Noturnos

50,0%

 -

 

Síndrome das Pernas Inquietas

49,0%

72,6%

 

Hipoglicemia

45,0%

2,0%

 

Cãibras

42,0%

72,1%

 

Aumento de Peso

40,0%

70,0%

 

Sinusite

40,0%

58,4%

 

Desmaios

40,0%

 -

 

Dismenorréia

38,2%

34,0%

 

Olho Seco

33,0%

49,2%

 

Nervosismo

32,0%

72,6%

 

Fenômeno de Raynaud

31,7%

 -

 

Reflexo Comprometido

31,0%

46,0%

 

Sabor Amargo / Metálico

30,0%

62,9%

 

Desequilíbrio

30,0%

61,0%

 

Vertigem

30,0%

 -

 

Depressão Grave

28,3%

30,5%

 

Dispaurenia

20,0%

46,7%

 

Disfunção Sexual

20,0%

 -

 

Hipotiroidismo

10,0%

9,1%

 

Hipertiroidismo

10,0%

2,5%

 

Visão Dupla

10,0%

 -

 

Desânimo

-

96,4%

 

Tristeza

-

93,4%

 

Frustração

-

86,8%

 

Solidão

-

75,6%

 

Unha Quebradiça

-

71,6%

 

Nódulos Doloridos

-

65,0%

 

Depressão Moderada

-

51,8%

 

SOBREPOSIÇÃO DE SÍNDROMES

                                                                                               TOPO