TERAPIAS FÍSICAS PARA A FIBROMIALGIA

 

  É unanimidade entre os reumatologistas a importância de exercícios físicos aeróbicos para a estabilidade dos sintomas do paciente fibromiálgico.

  Como a fibromialgia é caracterizada pela dor crônica em todo o corpo a maioria dos pacientes tende a reduzir seu nível de atividade física em resposta à dor. Essa inatividade resulta na redução da resistência física e conduz ao descondicionamento e à perda da função. Forma-se um círculo vicioso onde quanto menos atividades físicas nós fazemos, mais descondicionados nós ficamos e menos somos capazes de nos exercitar. Assim, alguns pacientes podem imaginar que sua doença é progressiva, mas não é a fibromialgia que está progredindo e sim a própria saúde física que está declinando.

  O distúrbio do sono comum aos pacientes de fibromialgia, chamado de sono Alfa-Delta que ocorre quando ondas Alfa invadem a fase 4 do sono e causa interrupção no sono profundo, reduz a capacidade de regeneração do tecido muscular e de recuperação física do organismo.

  Portanto, é fundamental ao fibromiálgico manter-se fisicamente ativo. Alguns estudos mostram que a atividade física regular é a arma mais eficaz no controle da doença.

  De forma mais ampla, o cuidado com o corpo, principalmente com seus músculos, tendões e ligamentos, é fundamental ao paciente e deve ser encarado como um programa de trabalho diário buscando-se basicamente 4 metas: 

Meta 1 – Relaxamento, flexibilização e alongamento.

Meta 2 – Postura, conscientização corporal e fortalecimento muscular.

Meta 3 – Condicionamento e resistência física.

Meta 4 – Manutenção e autoproteção.

 

 

Relaxamento, Flexibilização e Alongamento  

  Como a dor crônica provoca contração e encurtamento muscular, a atividade física que também causa contração muscular, se torna difícil de ser executada e pode acarretar novas dores ou lesões.

  Dessa forma, antes de executar qualquer exercício físico, os pacientes de fibromialgia precisam alongar as fibras musculares para protegê-las de contusões e tornar a atividade a ser executada mais fácil e menos dolorosa.

As qualidades físicas que devem ser estimuladas são: o equilíbrio, a força, a coordenação motora, a resistência, a flexibilidade e a lateralidade.

  Relaxamento - É o oposto da tensão, enquanto a tensão origina-se de músculos contraídos e resulta em inflexibilidade e fadiga, o relaxamento diminui a tensão e promove a flexibilidade. A regularidade do relaxamento é fator importante para o alongamento.

  Flexibilização - A flexibilidade é a habilidade para mover uma articulação através de uma amplitude de movimento normal sem estresse excessivo. 

A melhoria desta qualidade física tem relação direta com o aumento da produção de força dos músculos, é essencial para ganhos de agilidade e destreza, e é fundamental para a execução das atividades profissionais e cotidianas. A flexibilidade permite que o indivíduo crie uma aparência de bem-estar, suavidade de movimento, coordenação, autocontrole e liberdade. 

A perda da flexibilidade é caracterizada pelo envelhecimento e pelo estilo sedentário e os exercícios de alongamentos são métodos para o desenvolvimento da flexibilidade.

  Alongamento - O objetivo do alongamento é a reduzir a tensão muscular e promover movimentos mais soltos e amplos. 

Para aumentar a amplitude de movimento em uma articulação, os procedimentos de alongamento devem aumentar a capacidade de extensão dos tecidos conjutivos dos músculos e articulações, reduzir a tensão, produzir o relaxamento e aumentar a força muscular. 

Idealmente, antes do alongamento deve-se executar algum tipo de relaxamento, para permitir uma maior flexibilidade da musculatura, preparando o corpo e a mente para o alongamento e para a atividade física.

Alongamento Passivo - É feito com ajuda externa de aparelhos ou de um terapeuta, sem que a pessoa execute os movimentos. O objetivo é a recuperação, a drenagem, a manutenção da flexibilidade de músculos e tendões e o ganho da amplitude articular. Desenvolve a flexibilidade e a força ao mesmo tempo. O profissional conduz o grupo músculo-articular da pessoa até uma determinada posição com tensão muscular de baixa a moderada e mantém a posição por determinado tempo.

Alongamento Ativo - É realizado pelo uso voluntário dos músculos da pessoa sem ajuda externa. O objetivo é o aquecimento que prepara os músculos, tendões e articulações para o esforço da atividade física.

Alongamento Assistido – Combina as técnicas passivas e ativas e é realizado sempre com a ajuda de um terapeuta.

 

Técnicas -  Existem inúmeras técnicas que são aplicadas por fisiatras, fisioterapeutas e terapeutas corporais e que estão disponíveis em consultórios, academias de ginástica, piscinas, parques e praças, além das várias opções que podem ser feitas em casa pelo próprio paciente: Descanso - Meditação - Hipnose - Massagem - Fisioterapia - Hidroterapia - Acupuntura - Terapias Vibracionais - Quiropraxia

   

 

Postura, Conscientização Corporal e Fortalecimento Muscular

  Postura – A maior parte das dores no corpo resulta dos efeitos acumulados de má postura, estresse, maus hábitos para dormir e vida sedentária. 

Todo desequilíbrio que ocorre nas cadeias musculares nos leva a um desequilíbrio do tônus muscular e conseqüentemente a má postura. 

Boa postura é a atitude que uma pessoa assume utilizando a menor quantidade de esforço muscular e, ao mesmo tempo, protegendo as estruturas de suporte contra traumas. 

Os desvios posturais tais como a lordose cervical, cifose dorsal, lordose lombar e escoliose podem levar ao uso incorreto de outras articulações, tais como as dos ombros, braços, articulações temporo-mandibulares, quadris, joelhos e pés. Esses defeitos estruturais causam alterações das curvaturas normais da coluna vertebral, tornando-a mais vulnerável as tensões mecânicas e traumas. 

Muitos sintomas como dores de cabeça, formigamento nos braços, dores em certas regiões do corpo, dores abdominais entre outras, têm sua origem nos desequilíbrios posturais. 

Geralmente, o paciente de fibromialgia, assume posições de proteção contra a dor ou tensões em determinados grupos musculares que podem gerar problemas posturais crônicos.

  Conscientização Corporal – Os desequilíbrios posturais e as conseqüentes síndromes dolorosas variam de acordo com o modo de vida e dependem da conscientização corporal que cada indivíduo apresenta. 

A maneira de se posicionar é muito importante pois pode desencadear um processo de desequilíbrio e dor. 

Se uma boa postura ao executar as atividades diárias é o principal fator para se evitar esses desequilíbrios, torna-se fundamental a conscientização sobre o corpo e sobre a melhor maneira de minimizar o esforço ao qual ele é submetido.

  Fortalecimento Muscular - São exercícios indicados para aumentar a quantidade e a qualidade do músculo, aumentar o equilíbrio, diminuir o risco de quedas e fraturas, preservar e aumentar a força e a potência muscular.  

 

Técnicas:

Postura e Consciência: RPG - Bola Suiça - Iso-Stretching - Yoga - Flex Circuit - Tai chi Chuan - Pilates - Body Balance - Feldenkrais - Técnica de Alexander - Eutonia - Método Mézières - Anti-ginástica - Bioenergética (ou Psicoterapia corporal)

Fortalecimento: Musculação - Step - Body Pump - Ginástica Localizada - Ginástica corretiva - Gap

 

 

Condicionamento e Resistência Física

  O fibromiálgico sente dor mais intensa e mais duradoura que o indivíduo saudável após a realização de exercícios físicos. Esse nível aumentado de dor desestimula a atividade, acarreta a diminuição da resistência física e conduz ao descondicionamento e à perda de função, porém é preciso paciência e persistência, já que os exercícios físicos podem trazer um real alívio na dor, na rigidez e na fadiga do paciente.

  Exercícios físicos regulares melhoram o tônus muscular, diminuem a sensação de dor e os distúrbios do sono, já que liberam uma série de substâncias, em especial as endorfinas que apresentam propriedades analgésicas e a somatostatina que promove o trofismo muscular. Também contribuem para o aumento do metabolismo do corpo e conseqüentemente para a redução de peso, melhora a circulação sangüínea, a força e o desempenho do coração além de facilitar a remoção de toxinas.

  Técnicas - Nessa categoria se enquadram os exercícios aeróbico de baixo impacto como:  Caminhada - Esteira Ergométrica - Bicicleta - Dança -  Power Yoga - Aeróbica Aquática - Natação - Hidroginástica - Caminhada na água - Ação Neuromuscular Integrativa (NIA)

 

 

Manutenção e Proteção

  O paciente de fibromialgia deve manter uma rotina de vida que o mantenha ativo e ao mesmo tempo o proteja de riscos de danos físicos.

  As atividades diárias devem ser mantidas desde que sejam possíveis de serem executadas sem danos ou sem gastos excessivos de energia.

  As articulações, os tendões e os ligamentos devem ser protegidos em cada atividade contra o excesso de estresse.

  Os períodos de atividade devem ser intercalados por períodos de descanso de forma a permitir uma recuperação da energia e da musculatura, evitando-se assim a fadiga.

  Técnicas - Terapia Ocupacional - Conservação de Energia - Órteses - Proteção Articular e Muscular - Ergonomia - Terapia Sensório-Motora-Perceptiva

 

    ... Tratamentos Em Estudo ...

 

  Lemeterapia ou Fibromioterapia - Terapia dos tecidos fasciais, tendões, aponeuroses e músculos. É uma técnica de manipulação corporal desenvolvida desde 1997 pelos terapeutas corporais F. Lélio Leme Jr. e Helen Lima Leme, para o tratamento da Fibromialgia.

 Os efeitos da terapia também se estendem para os demais Reumatismos Extra-Articulares de origem não infecciosa como: tendinites, bursites, problemas da coluna vertebral, mialgias, síndromes miofasciais, casos de L.E.R. (Lesão por Esforço Repetitivo) e DORT (Doença Ósteo-muscular Relacionada ao Trabalho).

O tratamento consiste em: calor local, analgesia vibratória e um tipo de massagem que localiza os pontos gatilho. Esses pontos são então trabalhados e "dissolvidos" pelos dedos do terapeuta.

A Lemeterapia, embora pouco conhecida pela comunidade médica, apresenta, segundo seus criadores, altos índices de resultados no tratamento de mais de 50 tipos de REA. O êxito terapêutico, segundo pesquisa científica realizada e ainda não publicada, alcança mais de 95% dos casos, tornando o paciente assintomático e contribuindo para o desaparecimento gradual das manifestações associadas como depressão, dores de cabeça, insônia, câimbras, irritabilidade, etc. A pesquisa foi conduzida pelo Dr. Paulo Farber, presidente da Associação Brasileira de Medicina Complementar.

 

VOLTAR                                                                       TOPO