TRATAMENTOS PARA A FIBROMIALGIA

 

  Embora intensas, as pesquisas empreendidas até agora não conseguiram relevante progresso no que diz respeito à identificação dos fatores que acarretam a fibromialgia. Dessa forma, sem a clareza da origem, o tratamento permanece restrito às drogas atuais desenvolvidas para outras patologias e testadas com algum sucesso em pacientes fibromiálgicos.

  Como a fibromialgia é até o momento considerada incurável, o tratamento da síndrome se concentra em amenizar os sintomas, reduzir a dor e o desconforto, elevar os níveis de neurotransmissores e proporcionar ao portador uma melhor qualidade de vida e menor limitação na realização de suas atividades funcionais. 

  O tratamento clássico atual combina medicamento, condicionamento físico e suporte psicológico.

  O consenso é que o paciente seja tratado de maneira global, nos diferentes domínios afetados pela dor crônica, e através de um programa complementar envolvendo dieta, mudanças de postura e de estilo de vida.

  Qualquer tratamento representa uma demanda energética e emocional adicional para uma nova adaptação e se torna bastante estressante para o fibromiálgico.

  Existem uma infinidade de protocolos sobre tratamentos ainda não reconhecidos formalmente pela comunidade médica, ou pela FDA americana. Nesta seção, abordaremos tanto os tratamentos da medicina convencional como aqueles considerados alternativos, sem qualquer preconceito. Sempre que for possível, incluiremos os resultados de avaliações desses tratamentos.

  Para melhor identificar os tipos de tratamentos existentes, recorremos ao  National Center for Complementary and Alternative Medicine (NCCAM) que é o órgão americano que controla a medicina chamada Alternativa de forma abrangente. Esse órgão a separa em 3 classes:

  Medicina Complementar: É usada juntamente com a medicina convencional, como um complemento desta, como é o caso da Aromaterapia.

  Medicina Alternativa: É usada no lugar da medicina convencional, como é o caso da Homeopatia.

  Medicina Integrativa: Combina medicina tradicional com a complementar e a alternativa, desde que estas possuam evidência científica de alta qualidade de segurança e eficácia.

  Medicina Complementar e Alternativa: Segundo o NCCAM, é um grupo de práticas e de produtos que não são considerados como parte da medicina convencional por faltarem evidências científicas da eficácia do tratamento e da segurança na utilização pelo paciente. 

A lista de o que é enquadrado nessa categoria é mudada continuamente pela NCCAM, transferindo para a Medicina convencional aquelas terapias que se provam seguras e eficazes no cuidado de saúde, enquanto  novas terapias são adicionadas na lista. A Medicina Complementar e Alternativa é classificada em 5 categorias:

  Sistemas Médicos Alternativos: São construídos em cima dos sistemas completos de teoria e prática, como é o caso da Homeopatia, da Naturopatia, da Ayurveda e da Medicina Chinesa tradicinal.

  Intervenções Mente-Corpo: Utiliza uma variedade de técnicas destinadas a capacitar a mente para influenciar as funções e os sintomas do corpo, como meditação, hipnose, yoga, biofeedback, tai chi, grupos de apoio, orações, e terapias que utilizam a arte, a música ou a dança.

  Terapias Biologicamente Baseadas: São baseadas em substâncias encontradas na natureza e nos alimentos como os suplementos alimentares, ervas, extratos derivados de animais, vitaminas, minerais, aminoácidos, proteínas, dietas e alimentos funcionais.

  Terapias de Manipulação Corporal: Fazem parte a quiropraxia, osteopatia, massagem, rolfing, watsu, terapia crânio-sacral, Lemeterapia, etc.

  Terapias de Energia: Envolvem a utilização de "campos de energia" e se dividem em dois tipos:

  De Biocampo: Trabalham os campos da energia que cercam e penetram o corpo humano, aplicando pressão e/ou manipulando o corpo com as mãos, como o Qi-gong e o Reiki.

  Bioeletromagnética: Envolve o uso não convencional de campos eletromagnéticos, de som, de luzes, de radiações monocromáticas como feixes de laser, etc.

  Seguindo essas noções apresentaremos o uso dessas terapias no processo de tratamento da fibromialgia.

  Consulte os tratamentos atuais, as terapias em estudo e também as controvertidas utilizados para a fibromialgia, por área de atuação, usando os Links abaixo:

 

 

 

                                                                                 TOPO